Imprimir esta página
Terça, 23 Fevereiro 2021 18:18

Webinar: Servidores tratam de mediação de conflitos na pandemia Destaque

Avalie este item
(4 votos)
Atividade foi conduzida pela advogada Juliana Holanda Atividade foi conduzida pela advogada Juliana Holanda Foto: Júlio Sonsol/ Núcleo de Comunicação Interna da AL

A Escola Superior do Parlamento Cearense (Unipace), por meio da Célula de Qualificação dos Servidores, realizou, nesta terça-feira (23/02), Webinar sobre o tema "A Importância da Mediação em Tempos de Pandemia e os Círculos de Construção de Paz!”, com palestra administrada pela advogada Juliana Holanda, por meio da plataforma digital Zoom.

Juliana Holanda é mediadora judicial e extrajudicial, pós-graduada, coordenadora do curso de Direito da Universidade Ateneu, facilitadora e instrutora de Justiça Restaurativa. Tem MBA em Políticas Públicas, Governo e Liderança pela Unipace, dentre outras formações. Ela também é autora do livro “Acesso à Justiça: a mediação como forma de solução de conflitos”.

Durante a atividade voltada para servidores da Assembleia Legislativa do Ceará, a palestrante destacou que a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceu a pandemia da Covid-19 em 11 de março de 2020. Com isso, o desemprego no país aumentou em 27%, em quatro meses, passando de 10,1 milhões para 12 milhões, no período. Sendo assim, as relações de consumo foram muito afetadas, desde cancelamento de viagens aéreas até o consumo de varejo. Além disso, em sua avaliação, houve crescimento de divórcios e suicídios.

“Há diversas situações gravíssimas, que muitas vezes representam um caminho sem volta. A maior sequela que a Covid-19 traz é a psicológica. As situações mais gravosas se apresentam no meio da rua, por meio de pessoas que não têm para onde ir. Todos têm uma dificuldade enorme de diálogo, principalmente porque as pessoas passam a conviver 24 horas por dia, praticamente, com as mesmas pessoas”, apontou.

Conflitos no cotidiano

A expositora advertiu que todos precisam se unir, porque sem união, os prejuízos serão ainda mais agravados. “Tudo que nós fazemos, vamos ter respostas”, alertou.  O conflito, segundo ela, surge de relações disfuncionais dentro de um sistema; e mediante estilos de comunicação incongruentes de uma ou mais partes. Ela alerta que o conflito é formado por reações imediatas que surgem de dentro das pessoas. “É como um iceberg. É a ponta que aparece fora da superfície do oceano. Há algo debaixo, há algo por trás do conflito”, pontuou. Conforme explicou, cabe ao mediador investigar as causas dos conflitos, para buscar a solução.

Juliana Holanda abordou a questão da importância da mediação que oferece àqueles que estão vivenciando uma situação de conflito uma oportunidade para restabelecer um diálogo em um ambiente em que eles possam se sentir acolhidos pelo mediador.  Conforme destacou a advogada, o conflito não envolve apenas a questão judicial ou extrajudicial, sendo seu objetivo o de prestar assistência na obtenção de acordos que possam construir um modelo de conduta para futuras relações.

Importância da mediação

A professora esclareceu que grande parte dos conflitos entre as partes surge da falta de escuta entre as partes. Ela informou que há muitos cursos de oratória para ensinar as pessoas a falar, mas são raros os que ensinam a ouvir. Além disso, ela esclarece que as partes, para chegar a um entendimento, precisam adquirir confiança na mediação. Sem um mediador confiável, a conciliação fica mais difícil.

“O mediador tem de ter a capacidade de fazer as perguntas para que as respostas das das partes levem a solução do conflito. Não podemos simplesmente dizer o que cada um vai fazer. É preciso que eles (mediador e partes) encontrem essas respostas”, avisa Juliana Holanda.

“Trazemos a medição também como uma forma interdisciplinar que atua em várias áreas profissionais cujas fases e técnicas devem ser abordadas e conhecidas pelo mediador para que o processo seja satisfatório. Ela destacou também a resolução 125 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que tem a previsibilidade da mediação como também o Código de Processo Civil e da própria lei da mediação’’, adianta.

A pandemia do Coronavírus vem abalando as relações e a mediação se propõe a reestruturar os conflitos por meio também de ciclos de construção de paz, processo simples que acontece num ambiente propício para que as partes se vejam de formas diferentes. “É um círculo de várias pessoas estruturado para organizar a comunicação em grupo, que deseja prevenir, transcender os conflitos e tomar decisões de uma forma mais eficiente”, acrescentou Juliana Holanda.

Sobre o Webinar

Projeto voltado exclusivamente para os servidores do Poder Legislativo,  promovido pela Célula de Qualificação dos Servidores da Unipace, o Webinar tem transmissão online ao vivo por meio da plataforma Zoom, sempre às terças-feiras, a partir das 16 horas. Os temas são diversificados e sugeridos pelos próprios servidores, para levar informação e manter a interação dos colegas durante o período de isolamento social.

A última edição do Webinar teve como tema “Vacinas Covid-19: Qual a importância e como funcionam?”, com palestra conduzida pelo pelo professor Edson Holanda Teixeira, do Departamento de Patologia e Medicina Legal da Faculdade de Medicina (Setor Imunologia) da Universidade Federal do Ceará (UFC) e membro afiliado da Academia Brasileira de Ciências.

JS

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 85.3257.3032

WhatsApp: 85.99147.6829

Lido 555 vezes

Itens relacionados (por tag)

Entre para postar comentários