Fortaleza, Quinta-feira, 02 Abril 2020
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática
Avalie este item
(1 Voto)

O Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce) vai promover, neste sábado (04/04), a oficina “Cobertura de crises na Saúde: Caso Coronavírus". A atividade será realizada online de forma gratuita, a partir das 10h30min, até às 12 horas. Podem se inscrever todos os interessados da área de jornalismo e assessoria de imprensa, além de estudantes da área de comunicação.

O treinamento será ministrado pelo jornalista Paulo Jefferson Pereira Barreto, assessor de comunicação no Núcleo de Tecnologias e Educação a Distância em Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC). Ele irá abordar o tema “O que é e por que falar de comunicação em saúde? Da teoria à análise prática da cobertura brasileira sobre o novo Coronavírus”, abordando questões relativas à abordagem e na construção da pauta em saúde; como proceder quando a comunicação oficial falha; e os desafios de quem trabalha com assessoria na área.

De acordo com o site do Sindjorce, a realização da oficina surgiu “diante da necessidade urgente de qualificação dos jornalistas cearenses para atuação na cobertura da pandemia de Covid-19 e levando em consideração as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e o decreto do Governo do Ceará – ambos destacando o isolamento social como medida de prevenção à doença”.

Demanda gera oportunidade

A jornalista Samira de Castro, diretora de Comunicação, Cultura e Eventos do Sindjorce e segunda vice-presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), explica que oficina tem por objetivo preparar melhor os jornalistas do Ceará para a cobertura da pandemia do Coronavírus.  “A gente observou que há uma procura muito grande por informações nas fontes jornalísticas. A população está recorrendo mais aos noticiários das emissoras de TV, sites e portais. O Sindicato entendeu que esse é o momento oportuno para ofertar a oficina”, afirma.

De acordo com a dirigente sindical, podem participar todos os jornalistas, independentemente de sua atuação em veículo de comunicação, ou não. “Podem se inscrever assessores de imprensa e profissionais que trabalham na cobertura”, avisou. Ela esclarece ainda que deve ser respeitado o limite de 100 inscrições, para que a oficina seja melhor aproveitada pelos participantes.

Sobre o facilitador

Paulo Jefferson Pereira Barreto tem graduação em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo, pela UFC. É mestre com doutorado em linguística pela mesma universidade. Integra o Grupo de Estudos, Pesquisa e Inovação em Informática Biomédica (GEPIB) e é editor da Revista de Saúde Digital e Tecnologias Educacionais.

As inscrições devem ser feitas no site do Sindicato, por meio do link http://www.sindjorce.org.br/coronavirus-oficina-sobre-cobertura-de-crises-na-saude-agora-e-gratuita-e-online/. Os inscritos receberão por e-mail o link para participar pela plataforma online.

Serviço: Oficina “Cobertura de crises na Saúde: Caso Coronavírus”. Data: 04/04/2020. Hora: 10h30 às 12h. Inscrições online pelo site do Sindjorce, pelo link http://www.sindjorce.org.br/coronavirus-oficina-sobre-cobertura-de-crises-na-saude-agora-e-gratuita-e-online/

JS

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Avalie este item
(2 votos)

A informação é ferramenta essencial para o enfrentamento de situações como a pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, uma vez que o cenário exige ações integradas entre poder público e sociedade, e conscientização para a prevenção baseada nas orientações dos órgãos competentes. Diante de muitas informações, atualizações constantes sobre os dados e mudanças na rotina da sociedade como um todo, as fake news, notícias falsas, ganham impulso e espaço, especialmente em aplicativos de troca de mensagens e redes sociais, conturbando ainda mais o cenário de crise.

A deputada Augusta Brito (PCdoB) é autora de projeto de lei, protocolado na última semana na AL, que estabelece multa para quem divulgar por meio eletrônico notícias falsas com informações sobre epidemias, endemias e pandemias no Estado do Ceará. Segundo a parlamentar, é necessário muito cuidado com o que se compartilha em redes sociais, especialmente, nos tempos atuais, indicando a importância de checar as informações. Ela ressalta que o projeto apresentado tem como intenção “reduzir os danos causados por este tipo de ação, como o pânico, a instabilidade emocional ou até situações mais graves”.

O deputado Nezinho Farias (PDT) criticou o uso de fake news, apontando que as notícias falsas, especialmente em um momento crítico como o atual com a luta contra o coronavírus, é uma falta de responsabilidade com a vida das pessoas. O parlamentar ressaltou que as informações e notícias falsas atrapalham o trabalho sério e dedicado feito pelo poder público e diversos órgãos em busca da prevenção e da melhor abordagem da situação. “São decisões tomadas com perfil técnico, observando o que vem sendo feito no mundo todo e que servem para orientar a população”, apontou. Para ele, os casos precisam ser devidamente investigados pela polícia, assim como punidos pelos órgãos da justiça.

O deputado Vitor Valim (Pros) comentou a que a população tem importante papel no combate às notícias falsas e deve agir para que tais informações não sejam disseminadas. O parlamentar afirmou que as pessoas, ao verem tais notícias mentirosas sendo disseminadas, devem buscar fazer o contraponto em suas redes sociais e grupos. Também é essencial, ressaltou o deputado, checar as informações nas fontes oficiais, pois, em muitos casos, as notícias falsas usam os nomes dos órgãos sem que a informação tenha sido publicada em qualquer veículo das instituições. Além de informações mentirosas sobre o vírus, possíveis curas e formas de prevenção, gestores, órgãos públicos e imprensa se tornaram, nas últimas semanas, vítimas das fake news.

População atesta credibilidade da imprensa, aponta pesquisa

O instituto Datafolha, em pesquisa realizada na última quinzena de março, apontou que os veículos de comunicação da imprensa profissional são as fontes de informação que a população tem maior confiança na divulgação de informações sobre a atual crise do novo coronavírus. Programas jornalísticos da TV (61%), jornais impressos (56%), programas jornalísticos de rádio (50%) e sites de notícias (38%) lideram a confiança do público.

Os conteúdos partilhados pelo aplicativo de mensagens WhatsApp e por redes sociais como o Facebook, em contrapartida, são os que passam menos confiança para a população. O levantamento foi publicado pelo jornal Folha de S. Paulo, no último dia 23 de março.

Em referência a um caso recente de fake news, que envolveu veículo de comunicação local e Governo do Estado, a Associação Cearense de Rádio e Televisão (Acert) ressaltou a importância do jornalismo profissional coeso, ético e baseado em princípios e o compromisso dos veículos cearenses com a verdade, especialmente neste momento de crise.

(Da Agência de Notícias da AL, com Núcleo de Comunicação Interna)

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Avalie este item
(2 votos)

Iniciam, nesta quarta-feira (01/04), as inscrições virtuais para o concurso público da Assembleia Legislativa do Ceará para provimento de 100 vagas.

O certame destina 30 vagas para nível médio (técnico legislativo) e 70 para nível superior (analista legislativo), distribuídas em 16 áreas profissionais. As inscrições virtuais se encerram no dia 30 do mesmo mês. Os vencimentos básicos correspondem a R$ 4.455,29 para nível superior e R$ 2.224,90 para nível técnico. Para todos os cargos se estabelece a jornada de trabalho de 30 horas semanais.

O concurso será realizado pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe). Segundo o edital, as inscrições no concurso ocorrerão durante o mês de abril somente pela Internet, por meio do endereço eletrônico da Cebraspe.

O presidente da Casa, deputado José Sarto (PDT), ressalta que o Poder Legislativo está atento e comprometido com a situação de saúde do nosso Estado, monitorando informações, seguindo recomendações da Secretaria da Saúde e atualizando medidas para conter a propagação do novo coronavírus na sede do Parlamento. “Mas, tendo em vista o cumprimento do cronograma das atividades da Casa, é importante manter os procedimentos previstos para o concurso, possibilitando inclusive que o cidadão e cidadã utilizem esse tempo de isolamento social para se prepararem para a seleção, se assim o desejarem”, pontua o parlamentar.

Segundo o presidente da AL, o concurso integra proposta de modernização e reestruturação do organograma da Casa e representa um importante instrumento de valorização dos recursos humanos. "Com o concurso, o Parlamento proporcionará melhores condições para subsidiar tecnicamente a atividade dos deputados, qualificando ainda mais os trabalhos desta Casa Legislativa. Além disso, os profissionais aprovados nos ajudarão a reforçar o compromisso com a prestação de serviços importantes à população", afirma Sarto.

A taxa de inscrição será de R$ 120,00 para nível superior e de R$ 80,00 para nível médio. O pagamento deverá ser efetuado até 25 de maio, por meio dos aplicativos de qualquer banco. O candidato tem que imprimir o documento que comprova o efetivo pagamento por uma questão de segurança. A previsão é que no dia 22 de junho seja disponibilizada a consulta aos locais e aos horários de realização das provas, tanto no site da Cebraspe quanto no Diário Oficial do Estado.

(Da Agência de Notícias da AL)

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Avalie este item
(2 votos)

Com a chegada de um novo mês, há mudanças em procedimentos realizados regularmente no pagamento de tarifas estaduais. Servidores e servidoras da Assembleia Legislativa do Ceará devem estar atentos a duas informações relevantes para lidar com seus orçamentos em abril, devido às ações de combate ao novo coronavírus.

Entra em vigor nesta quarta-feira (01/04) a isenção de faturamento das tarifas de água e esgoto para imóveis de padrão básico que consumam até 10 m³ por mês no Estado do Ceará. A medida faz parte de uma série de ações do Poder Executivo para beneficiar a população cearense durante o período de quarentena. Conforme o governador Camilo Santana (PT), a suspensão da cobrança de água vai beneficiar 338 mil famílias em Fortaleza e Região Metropolitana durante 90 dias.

Outra suspensão que passa a vigorar a partir de hoje se refere à tarifa de contingência para os imóveis de padrão básico e regular na capital e municípios da Região Metropolitana de Fortaleza. O servidor do Poder Legislativo pode saber se terá direito ao benefício por meio do serviço de consulta disponibilizado no portal da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece).

Para saber se seu imóvel se encaixa no requisito, acesso o portal  www.cagece.com.br. Escolha a opção “consultar padrão do imóvel”, sendo necessário informar o número do CPF e inscrição do imóvel. A opção também está disponível por meio do Cagece App. Outra forma para consultar o padrão do seu imóvel é a consulta à Central de Atendimento Telefônica da Cagece, por meio do número 0800.275.0195.

JB, com informações do Governo do Estado

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Avalie este item
(3 votos)

A Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Assalce) resolveu suspender todas as atividades presenciais do Projeto Casulo, que desenvolve presencialmente, desde o último dia 15 de março. A medida tem por objetivo reduzir o convívio social dos participantes para evitar o contágio pelo coronavírus, seguindo orientação da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Ceará e do Governo do Estado. A medida, no entanto, não significou a paralisação das oficinas, por completo.

Lissie Castro, que coordena o projeto Casulo Bem Estar e a Oficina de Respiração e Meditação, explica que, com as atividades suspensas, tomou a iniciativa de se utilizar das ferramentas da Internet, como forma de dar uma continuidade alternativa aos trabalhos desenvolvidos pela oficina. “No primeiro dia após a paralisação, tive a ideia de mandar pelo grupo de Whatsapp da turma uma música, para a atividade de musicoterapia, com o objetivo de ajudar cada um a relaxar e a ter o sono melhor”, revela.

Lissie Castro conta que outra atividade foi promovida com a gravação de um áudio sobre respiração e, em seguida, com outro sobre uma atividade de ativação do timo, para fortalecer a imunidade da pessoa praticante. “Estou em casa, mas tenho um pai idoso e sei o quanto a pessoa precisa ter uma cabeça legal, mesmo sendo muito complicado diante da pandemia do coronavírus. Ainda não sou muito boa em Internet, mas consegui que minha filha me auxiliasse nas gravações, mesmo estando com o seu bebê de três meses no colo. A gente conseguiu uma pessoa para segurar a criança, enquanto ela me filmava”, explica.

Continuidade

De acordo com Lissie, a realização das atividades a distância, mesmo que provisoriamente, representa um esforço para não paralisar o coletivo, garantindo assim sua continuidade.

“As participantes têm agradecido o nosso trabalho e isso é muito gratificante.  Temos também o grupo do WhastApp chamado ‘Vaidosas’, composto por aposentadas da Assembleia, que também está recebendo o material que produzo. Para as alunas, mando no contato pessoal de cada uma e elas tem dado um bom feedback. As pessoas em situação de isolamento estão em um momento de muito incômodo e esperamos estar contribuindo para reduzir este desassossego”, enfatiza.

Líssie Castro esclarece ainda que o envio de áudios e gravações de vídeo não obedece a uma rotina fixa, porque neste período teve de assumir o papel cuidadora do seu pai. No entanto, sempre que tem tempo disponível, ela produz alguma mídia para enviar para seus contatos e para o grupo. A facilitadora informa que se mais alguém desejar receber este material, é só entrar em contato por meio do Whtasapp 85.9998.7026, que ela se dispõe a encaminhar o conteúdo.

Mais informações: 85.9998.7026 (WhatsApp).

JS

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Avalie este item
(2 votos)

O presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputado Queiroz Filho (PDT), e o vice-presidente do colegiado, Acrísio Sena (PT), manifestaram total apoio à medida do governador Camilo Santana de prorrogar por 30 dias a suspensão das aulas presenciais de escolas e universidades em todo o estado do Ceará, publicada no Diário Oficial do Estado do Ceará da última segunda-feira (30/03) e que passa a valer a partir de desta terça-feira (31/03).

Segundo Queiroz Filho, presidentes das comissões de Educação de mais de 12 Assembleias Legislativas em todo o País apoiam a medida. “É importante lembrar que isso visa preservar a saúde dos alunos, professores, coordenadores e de todo o corpo técnico que faz a educação no estado do Ceará, e também, obviamente, da família dessas pessoas”, pontuou. O deputado também ressaltou que a melhor forma de combater o novo coronavírus é “evitando essas aglomerações, para as pessoas não se contaminarem”.

Queiroz Filho enfatizou ainda o papel da Assembleia Legislativa, que, por meio do presidente, deputado José Sarto (PDT), disponibilizou a TV Assembleia para transmitir aulas a distância, referindo-se ao projeto Alcance Enem, cujo objetivo é fortalecer a preparação dos alunos oriundos do sistema público de ensino, com vistas a obter melhor desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio. O projeto é vinculado ao Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da AL.

Já o vice-presidente do colegiado, deputado Acrísio Sena (PT), observou que a decisão segue as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e a considerou “absolutamente correta, dentro da estratégia de evitar a proliferação do coronavírus e, acima de tudo, resguardar a vida das pessoas”. “Até porque aulas nós podemos recuperar, vidas jamais”, destacou o parlamentar.

Acrísio Sena também pediu que as prefeituras de todo o estado do Ceará tenham a preocupação de continuar dando assistência aos estudantes, com fornecimento de merenda escolar aos alunos. “Assim como Fortaleza preparou os kits e entregou às respectivas famílias, que também no estado do Ceará esse exemplo seja seguido. Que não haja, durante a suspensão das aulas, a interrupção da merenda escolar”, salientou.

Publicada no Diário Oficial do Estado do Ceará dessa segunda-feira (30/03), a nova medida prorrogou a suspensão das aulas presenciais em escolas e universidades por 30 dias, como forma de conter a propagação da Covid-19 – doença causada pelo novo coronavírus – no Estado. A decisão passa a valer a partir desta terça-feira (31/03) e abrange escolas, cursos, faculdades e universidades (públicas ou privadas).

De acordo com o Decreto 33.532/2020, a suspensão das aulas na modalidade presencial faz parte de um conjunto de ações de enfrentamento à disseminação da Covid-19 em todo o Estado, a fim de preservar “a capacidade de atendimento da rede de saúde estadual – pública e privada – em prol da proteção da vida daqueles que, por complicações decorrentes da infecção, certamente precisarão de cuidados médicos”. O documento frisa ainda que as medidas adotadas são, “segundo evidências médicas e científicas, as alternativas mais eficazes ao enfrentamento da propagação do coronavírus, considerando o atual estágio da doença em território cearense”.

(Da Agência de Notícias da AL)

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Avalie este item
(4 votos)

Após 56 anos, a derrubada do presidente João Goulart por lideranças militares, que deu início ao Regime Militar (1964-1985), deixou traumas na sociedade brasileira. O período histórico, que se iniciou em 31 de março de 1964, com a posse do presidente Humberto de Alencar Castello Branco, contou com a participação de líderes políticos do Ceará em momentos marcantes.

Os fatos que antecederam o início do Regime Militar foram dramáticos. Em 30 de março de 1964, à noite, o então deputado federal Mauro Benevides (à época do Partido Social Democrático, o PSD) se encontrava na residência do governador Virgílio Távora e foi impedido de se deslocar ao município de Quixeramobim devido a um telefonema atendido pelo gestor estadual.

Na ligação, o governador de Minas Gerais, Magalhães Pinto, alertara Virgílio sobre o regime que se iniciaria, suspendendo o período democrático no país. Na ocasião, o então deputado estadual Raimundo Ivan Barroso de Oliveira, do Partido Social Progressista (PSP), chegou a se abrigar na Assembleia Legislativa do Ceará, após denunciar que estava sendo seguido por homens em um carro pelas ruas de Fortaleza.

Período marcado por cassações de mandatos

Os dias que se seguiram agravaram as tensões, com a cassação de mandatos de lideranças políticas que se opunham à tomada de poder pelos militares e, consequentemente, representava ruptura do processo democrático no Brasil. Em 9 de abril de 1964, seis deputados estaduais do Estado do Ceará foram cassados por motivos políticos: o próprio Raimundo Ivan, além de José Pontes Neto, Amadeu Arrais, José Fiúza Gomes, Aníbal Fernandes Bonavides e Blanchard Girão. Depois de formalizadas as cassações, todos foram presos no 23º Batalhão de Caçadores. Posteriormente, eles teriam o decoro parlamentar restituído pelo Poder Legislativo.

As cassações atingiram ainda três vereadores por Fortaleza: Tarcísio Leitão, Manoel Aguiar de Arruda e Luciano Barreira. Em 2011, por iniciativa da então vereadora Eliana Gomes (PCdoB) e do presidente da Câmara, o atual deputado estadual Acrísio Sena (PT), o Poder Legislativo municipal restaurou o decoro parlamentar dos vereadores cassados.

A retomada da democracia no Brasil viria apenas em 1985, com a eleição indireta de Tancredo Neves (PMDB) à Presidência da República, sendo consolidada com a Constituição de 1988 e a eleição presidencial de 1989. Na primeira eleição direta após o Regime Militar, os brasileiros elegeram o ex-governador de Alagoas, Fernando Collor de Mello (PRN), presidente da República.

Lei estadual proíbe homenagens a torturadores

Além das cassações, o período foi marcado por torturas e assassinatos de militantes políticos, gerando comoção e transtorno para muitas famílias. A Assembleia Legislativa do Ceará deu uma contribuição para que o resgate histórico do período compreendido entre 1964 e 1985 seja feito com justiça. Uma lei estadual, de janeiro de 2019, proíbe a administração pública de homenagear qualquer pessoa que tenha seu nome no Relatório Final da Comissão Nacional da Verdade, documento divulgado em 2014 com os envolvidos nas torturas e mortes do regime.

O autor do projeto foi o deputado Renato Roseno (PSOL). Durante a tramitação do projeto, ele contou que ficava indignado ao ver prédios públicos, como escolas, levando nome de ditadores. Aprovado pela Assembleia em dezembro de 2018, o projeto foi posteriormente sancionado pelo governador Camilo Santana (PT).

SC

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Avalie este item
(3 votos)

A necessidade de isolamento e o distanciamento social, medidas de prevenção para evitar a disseminação da Covid-19, o novo coronavírus, alteraram a rotina das famílias e impuseram desafios específicos para as crianças, que podem acumular dúvidas e receios neste período.

A psicóloga Nara Guimarães, do Departamento de Saúde e Assistência Social (DSAS) da Assembleia Legislativa do Ceará, aponta que com aulas e demais atividades das crianças e adolescentes suspensas, assim como efetivação do trabalho remoto para muitos profissionais, a conciliação entre diferentes demandas e sentimentos exige diálogo, transparência e tranquilidade para as famílias.

Segundo ela, é importante que as crianças percebam a realidade dos fatos de acordo com o que podem absorver e isso pode ser percebido com diálogo. “É interessante sentar, conversar, escutar as perguntas, saber o que a criança está entendendo desse período e responder da forma mais clara possível”, comenta.

“É um momento novo para todos nós, então é importante que os pais manejem a própria ansiedade e medo frente ao futuro para que as crianças não absorvam tudo isso”, ressalta a psicóloga.

Nara indica ainda que, aqueles que estão atravessando momentos de insegurança e medo podem contar com a ajuda de um profissional habilitado, uma vez que psicólogos e psiquiatras estão autorizados a atender online durante esta pandemia.

Construir uma rotina

Mesmo diante de mudanças bruscas na forma como todos estão vivendo os dias de quarentena, o estabelecimento de uma rotina é muito importante, destaca a psicóloga Nara Guimarães.

“A rotina proporciona uma noção de segurança e bem estar. Temos visto dificuldades de algumas famílias em criar isso, mas é importante buscar manter uma rotina saudável, mas fazendo algumas concessões, justamente por ser um momento atípico”, comenta. Entre as regras que podem ser mais flexíveis, a depender da realidade de cada família, está o período dedicado a jogos e TV, por exemplo, uma vez que há o impedimento de sair de casa.

Para pais e mães que estão trabalhando de forma remota, negociar com as crianças o tempo dedicado às demandas do trabalho é importante, comenta Nara. Ela sugere que um “mini home office” seja montado para que as crianças façam suas tarefas e atividades, assim como pausas combinadas para fazerem lanches juntos. “É preciso ativar o lúdico para uma melhor compreensão deste momento”, diz.

Nas últimas semanas, indica a psicóloga, muitos materiais com diversas atividades para ser realizadas com as crianças foram compartilhados nas redes sociais, assim como acervos de livros e músicas. E, diante do tempo juntos e da restrição ao ambiente domiciliar, é interessante viver tais momentos lúdicos.

No entanto, ressalta, “é importante que os pais não vivam a pressão de estar a todo momento “entretendo” os filhos frente à realidade, sublimando o momento difícil. É necessário que as crianças também sintam as limitações e frustrações do momento. Algumas horas vai ser chato mesmo e as crianças vão lidar com a frustração. Devemos lembrar que é um período, é temporário”, comenta.

Diante de tantos desafios e incertezas, Nara Guimarães comenta que um movimento interessante tem sido percebido nos atendimentos e acompanhamentos online que faz com as famílias: o prazer que as crianças estão tendo em ter os pais por perto por mais tempo.

Segundo ela, essa convivência mais estreita permite que as crianças criem memórias afetivas importantes para a infância e para este momento e permite que as famílias possam aprofundar as relações. “É um efeito colateral positivo em meio a tanta dor e medo”, aponta.

(Da Agência de Notícias da AL)

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Avalie este item
(2 votos)

Os servidores da Assembleia Legislativa do Ceará terão entretenimento garantido durante o período de isolamento social. Nesta terça-feira (31/03), a Secretaria da Cultura do Ceará (Secult) lança o edital Festival Cultura DendiCasa: Arte de Casa. O edital vai selecionar 400 projetos com conteúdos artísticos de diversas linguagens para compor uma programação especial voltada para as plataformas digitais, como forma de entreter o público durante o período de isolamento social.

A medida é essencial para o incremento da economia artística, criativa e cultural no Ceará, neste contexto de enfrentamento do Coronavírus conforme defende o secretário da Cultura, Fabiano Piúba. “Além disso, é uma forma de garantir ao povo cearense o acesso à cultura, de maneira inovadora e democrática. Estaremos injetando R$ 1 milhão na economia destinado a profissionais da cultura, que são em sua maioria autônomos ou não possuem renda fixa”, afirmou durante transmissão ao vivo no Facebook.

O processo seletivo é aberto apenas para pessoas físicas. Cada trabalho selecionado receberá o valor fixo de R$ 2.500,00. As inscrições serão realizadas entre os dias 31 de março e 20 de abril, por meio da plataforma online Mapa Cultural do Ceará. Os vencedores do edital irão apresentar shows e eventos culturais nas redes sociais do Governo do Estado. “Estamos lançando o edital Cultura Dentro de Casa, com dois objetivos: ter uma programação cultural e ter uma renda pros artistas cearenses que vencerem esse edital’’, afirmou o governador Camilo Santana (PT) em transmissão via Facebook.

Participação da AL

Para que a execução do Edital fosse feita de forma menos burocrática, simplificando a inscrição e facilitando o acesso dos cidadãos cearenses aos recursos públicos previstos, foi necessária a aprovação, pela Assembleia Legislativa do Ceará, da alteração à Lei Complementar 119, de 28 de dezembro de 2012. A votação para a aprovação do texto legal, realizada na última sexta-feira (27/03), contou com a participação de 43 deputados, em Sessão Extraordinária via Sistema de Deliberação Remota (SDR).

JB, com informações do Governo do Estado

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Avalie este item
(2 votos)

Cada pessoa pode contribuir de forma efetiva para reduzir os riscos de proliferação do coronavírus. Se as autoridades sanitárias do Estado estão tomando todas as precauções no sentido de evitar a proliferação do coronavírus no Ceará, algumas atitudes individuais também são importantes para garantir a saúde de todos. É o que informa Morgana Ferreira, coordenadora da Célula da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) da Assembleia Legislativa do Ceará.

Um desses cuidados apontados por Morgana Ferreira é o uso e o descarte das máscaras de proteção. “Só quem deve utilizar são as pessoas que efetivamente estão com os sintomas da doença. Quem não apresentar esses sintomas, mas tiver feito uso, pode reutilizar, desde que adotadas as devidas precauções”, aponta a coordenadora.

Desde o aparecimento dos primeiros casos do novo coronavírus, o que mais tem se visto são imagens de asiáticos, especialmente chineses, usando máscaras para andar nas ruas, aeroportos ou em qualquer outro espaço público.

Nesse contexto, as máscaras faciais, incluindo as de estilo cirúrgico, têm sido a melhor opção para pessoas se protegerem de novas transmissões da Covid-19. Só que essa afirmação não é completamente verdadeira, porque elas não bloqueiam a respiração, de forma segura, contra os germes.

“Em outras palavras, essas máscaras (independentes do modelo) só fornecem uma proteção adicional para o usuário contra as maiores gotículas de fluidos corporais, como as partículas que saem de um espirro ou tosse. Afinal, não filtram o ar de forma 100% segura, mas não deixam de ser uma proteção a mais”, esclarece Morgana Ferreira.

Como fazer o descarte corretamente

Quanto ao descarte das máscaras, ela acentua que após o uso pode haver contaminação no equipamento, que deve ser tratado como lixo cirúrgico. “Importante, então, que sempre que possível a máscara deve ser dispensada de forma separada do lixo comum, se possível posta em embalagem vedada, de forma que o seu manuseio seja o mais seguro possível, até o destino final do lixo, evitando novas contaminações” diz a coordenadora.

Morgana Ferreira acentua ainda que no uso não podem ser cruzados os elásticos das máscaras, o que deixa a boca e nariz mais expostos. “A pessoa deve colocar a parte do superior do elástico na parte superior da orelha e a de baixo, na parte inferior. Quando a máscara é usada de forma cruzada, é aumentada a área lateral de exposição ao meio ambiente”, explica.

JS

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Whatsapp: 85.99147.6829

Página 1 de 65

Temos 196 visitantes e 14 membros online

Login de Acesso

Por favor, para efetuar o login digitar zeros(0) à esquerda. Ex: 000015. Totalizando 6 dígitos.

CURSOS / PROJETOS

EVENTOS / DESTAQUES



  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará 

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60170.900                           Siga-nos:

  Fone: (85) 3277.2500