Fortaleza, Sexta-feira, 21 Janeiro 2022
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática

O Movimento  das Mulheres do Legislativo  Cearense (MMLC), a Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa do Ceará (Assalce) e o Comitê de Responsabilidade Social, através da Célula de Articulação e Fomento à Cidadania, visitaram  nesta quarta-feira (20/10) os departamentos do Poder Legislativo. A iniciativa  integrou as atividades da campanha Outubro Rosa e teve o objetivo de  conscientizar e fortalecer  a divulgação sobre a prevenção do câncer de mama,  tipo de câncer que mais acomete as mulheres no Brasil e no mundo. Na ocasião, foram distribuídos lacinhos cor de rosa e panfletos alusivos ao mês de prevenção do câncer de mama.

A primeira-dama da Assembleia, Cristiane Leitão, ressaltou  que o Poder Legislativo está engajado no mês de prevenção ao câncer de mama e que ao longo do mês, células e núcleos do Departamento de Saúde e Assistência Social (DSAS) da Casa realizam atividades a fim de incentivar  o público interno e  externo  sobre a importância da saúde preventiva.

''Nesse mês, estamos realizando ações em alusão ao Outubro Rosa e adotamos o lema 'A Prevenção está em suas mãos', nome sugestivo porque  é através do toque  e o olhar para o seu corpo  que as mulheres conseguem perceber sinais, fazer um diagnóstico precoce e ter mais chance de cura", afirmou Cristiane Leitão. De acordo com ela, as visitas tratam da conscientização e a iniciativa  vai ao  encontro da gestão humanizada do presidente da Assembleia  Legislativa, deputado Evandro Leitão (PDT), "que implantou  vários serviços de saúde e novos  núcleos para termos esse cuidado com os nossos  servidores'', destacou.

A visita aos setores da Alece contou com a participação do presidente da Assalce, Luis Edson Sales, e da presidente de honra do MMLC, a ex-deputada estadual Meire Costa Lima.

Doação

Também nesta quarta-feira (20/10), MMLC, Assalce e Comitê de Responsabilidade Social, através da Célula de Articulação e Fomento à Cidadania, realizaram a doação de 100 lençóis para a Casa Vida, braço de responsabilidade social do Grupo ICC – Instituto do Câncer do Ceará.

As atividades do Movimento das Mulheres em alusão ao Outubro Rosa, prosseguem nesta quinta-feira (21/10), com palestra ministrada pelo ginecologista do DSAS, Carlos Augusto Pereira, sobre a importância da prevenção ao câncer de mama para as mulheres que fazem parte  do projeto Bem-Me Quero, que busca desenvolver a autoestima e a inteligência emocional de mulheres egressas do sistema penal. O  encontro será realizado  a partir de 9 horas, no Auditório do Anexo III da Assembleia Legislativa (Edifício Deputado Francisco das Chagas Albuquerque).

JB

 

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

WhatsApp: 85.99147.6829; Telefone: 85.3257.3032

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

A Assembleia Legislativa do Ceará realizou, nesta terça-feira (19/10), blitz de conscientização do Outubro Rosa, na esquina da avenida Pontes Vieira com a rua Barbosa de Freitas. A ação, promovida pela Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Assalce), em parceria com o Movimento das Mulheres do Legislativo Cearense (MMLC) e com o Comitê de Responsabilidade Social da Casa, consistiu na entrega de panfletos informativos sobre o câncer de mama e laços cor-de-rosa, símbolos da campanha Outubro Rosa.

A presidente do Movimento das Mulheres do Legislativo Cearense (MMLC), ex-deputada estadual Meire Costa Lima, assinalou que a blitz do Outubro Rosa é mais uma da série de ações realizadas pelo Poder Legislativo para conscientizar as mulheres sobre os cuidados com a sua saúde. “Tudo que se promove em uma campanha de alerta faz a diferença na vida de pessoas que ainda estão um pouco adormecidas, esquecidas sobre determinado assunto”, salientou.

Segundo o presidente da Assalce, Luis Edson Sales, a ação conjunta é realizada todos os anos no entorno do Poder Legislativo, com o objetivo de alertar a população sobre as necessidades de cuidado com a saúde, na perspectiva da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

“Ações como essa podem fazer a diferença, na medida em que estamos entregando orientações sobre a prevenção da doença, enfatizando a importância de a mulher acima de 45 anos realizar a sua mamografia. A promoção da campanha ajuda a conscientizar mais a população sobre a temática”, destacou Luis Edson.

Programação envolve outras atividades

Além da blitz com panfletagem, a programação deste ano contará com atividades envolvendo todas as células e núcleos do Departamento de Saúde e Assistência Social da Assembleia (DSAS), parlamentares e servidores, com ações como sessão solene, webinar, além de acolhimentos no prédio sede da Assembleia (Edifício Adauto Bezerra) e no anexo III (Edifício Deputado Francisco das Chagas Albuquerque).

As atividades e a mobilização do Outubro Rosa na Assembleia Legislativa têm a participação efetiva das 12 células do DSAS: Célula de Assistência Social; Análises Clínicas; Célula de Fisioterapia; Odontologia; Clínica Medica; Terapia Ocupacional; Acupuntura; Enfermagem; Nutrição; Psicologia; Psicopedagogia; Fonoaudiologia. E também dos núcleos de Saúde Mental, de Práticas Sistêmicas Restaurativas, de Mediação e Gestão de Conflitos e de Responsabilidade Social.

Da Agência de Notícias, com Núcleo de Comunicação Interna da Alece

 

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

WhatsApp: 85.99147.6829; Telefone: 85.3257.3032

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

O  câncer de mama é 100 vezes mais comum na mulher do que no homem. Para o diagnóstico da doença, a mamografia é o exame que consegue detectá-lo na forma mais primária possível e, quando identificado neste estágio,  o tratamento tem de 90% a 95% de eficácia. O  médico mastologista Flávio Ximenes, do Departamento de Saúde e Assistência Social (DSAS) da Assembleia Legislativa do Ceará, ressalta que o  câncer de mama, tumor mais comum entre as mulheres, se manifesta de várias formas e dá orientações sobre o tema.

Um dos sintomas mais frequentes, de acordo com ele, é o aparecimento de um nódulo que normalmente as mulheres podem perceber por meio do autoexame.

''Caso seja identificado um nódulo, mesmo que indolor, é necessária a avaliação de um médico. Associado ao nódulo, pode haver mudanças na forma  e na característica da pele da mama ou alteração  na coloração da pele", explica.

Sintomas requerem atenção

Os sintomas do câncer de mama também podem incluir dor na mama ou mamilo, espessamento ou retração da pele ou do mamilo, secreção sanguinolenta ou serosa pelos mamilos e inchaço na pele.

O médico mastologista Flávio Ximenes destaca que a  prevenção do  câncer de mama inclui um estilo de vida saudável com alimentação equilibrada e prática de exercícios físico. Ainda de acordo com ele, a realização do autoexame  e mamografia devem ser feitas de forma preventiva anualmente a partir dos 40 anos de idade. ''A mulher deve reconhecer as  alterações para poder alertar o médico, pois o diagnóstico precoce é fundamental  para um tratamento mais eficaz'', conclui.

Saiba mais sobre o assunto no vídeo produzido em conjunto pelo Núcleo de Comunicação Interna e DSAS, com o apoio da TV Assembleia.

JB, com Assessoria de Imprensa do DSAS

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 85.3257.3032

WhatsApp: 85.99147.6829

Publicado em Categoria Matriz

O Núcleo de Práticas Sistêmicas e Restaurativas e o Núcleo de Gestão e Mediação de Conflitos, da Assembleia Legislativa, realizaram, nesta quinta-feira (14/10), círculo restaurativo de construção de paz, voltado para pessoas portadoras de câncer de mama ou em fase de remissão da doença, mulheres mastectomizadas e familiares. A ação, realizada no Anexo III,  fez parte das atividades do "Outubro Rosa", mês de conscientização sobre a enfermidade e medidas preventivas.  

O evento foi desenvolvido pela manhã, desde às 9h30min, com a facilitação da psicóloga Socorro Fagundes. A coordenadora do Núcleo de Gestão e Mediação de Conflitos, Raísa Pontes, esclareceu que     o círculo restaurativo foi idealizado com o objetivo de ser um momento de diálogo e restauração das mulheres portadoras e homens portadores de câncer de mama. "A ação é também para levar o cuidado, e não só a conscientização às pessoas".

Raísa informou que as participantes do círculo receberam das enfermeiras da Casa Legislativa orientações sobre radioterapia, "que causa desgaste durante o tratamento", e sobre a cicatrização da cirurgia de mastectomia, enfrentada por pacientes de câncer de mama, para a extração de nódulos.

"Elas precisam dessas orientações juntamente com o círculo restaurativo que é um momento de integração e diálogo para que elas possam se abrir e que, em muitas oportunidades, possam ser só ouvidas ou, até mesmo no silêncio, possam ser compreendidas, porque é um momento de dor", acentuou Raísa Pontes.    

 Selma Machado, coordenadora do Núcleo de Práticas Sistêmicas e Restaurativas, explicou que o círculo, composto também pelas enfermeiras da Casa, busca conscientizar as pessoas sobre a importância do auto exame, para detectar, se for o caso a doença. "Também falamos um pouco sobre os cuidados necessários no pós operatório, além de abordar questões sobre o psicológico e o lado emocional".

Ela salientou ainda que os núcleos acolhem o público com terapia sistêmica, realizando exercícios e olhando para os sintomas. "Nós vamos agora olhar para os sintomas, como vou me encontrar com eles e o que podemos fazer para saber lidar com isso".

Durante o Outubro Rosa, de acordo com  Selma Machado, serão oferecidos mais círculos, conversas e palestras para levar a conscientização e acolher as pessoas que precisam de um apoio neste momento que está passando.

Saiba mais

Os serviços do núcleo estão disponíveis para os servidores, seus dependentes e a população do entorno da Assembleia Legislativa. Os interessados devem entrar em contato pelo teleatendimento, através do número (85) 3277-3776, que encaminhará a ligação para o setor responsável. É necessário identificar-se para que seu nome seja inserido na lista de beneficiados. Feito o procedimento, o interessado assume o compromisso da sua participação e recebe um cartão fidelidade tanto para a constelação familiar como para o atendimento individual.

 JS

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

WhatsApp: 85.99147.6829; Telefone: 85.3257.3032

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

 

Publicado em Categoria Matriz

A Escola Superior do Parlamento Cearense (Unipace), por meio da Célula de Qualificação dos Servidores, realizou, nesta terça-feira (05/10), Webinar com o tema ''Saúde da Mulher: Prevenção do Câncer de Mama”. A atividade integra as ações da Célula de Clínica Médica do Departamento de Saúde e Assistência Social (DSAS) da Assembleia Legislativa, e teve a participação dos médicos Túlio Osterne, orientador da Célula Médica do DSAS e Flávio Ximenes, médico mastologista do departamento.

A palestra foi apresentada por Elvis Barbosa, médico coordenador da Residência de Mastologia do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), membro da Comissão de Oncoplastia da Sociedade Brasileira de Mastologia, Fellow em Cirurgia Plástica e Reconstrutora da Mama pelo Instituto Europeu de Oncologia - Milão (Itália). O evento faz parte das atividades da Campanha Outubro Rosa de prevenção ao câncer de mama da Assembleia Legislativa.

Túlio Osterne, durante a abertura disse que é bem relevante a realização de atividades que levem a conscientização sobre o câncer de mama. “Deveria ser, além de outubro, o Ano Rosa”. Ele considerou que as patologias mamárias devem ter o combate diário. “Em sua plenitude, a mama feminina sempre se referiu a feminilidade e a maternidade. As mamas exercem um grande poder na construção da autoestima feminina. Mesmo com a cura da doença, há o trauma da perda”, avisou.

Flávio Ximenes disse que Elvis Barbosa é um profissional brilhante e com uma boa bagagem. “Ele traz uma aula sobre um tema instigante e necessário. Vale destacar que além dos equipamentos para os diagnósticos e informações é muito grande. “A informação e fundamental”, ressaltou

MAMOGRAFIA

Elvis Barbosa disse que o câncer de mama é 100 vezes mais comum na mulher do que no homem. Para o diagnóstico, ele salientou que a mamografia é o exame que consegue detectar o câncer na forma mais primária possível e quando identificado neste estágio, há 90 a 95% de tratamento eficaz. “É um exame de excelência para o rastreamento indicado para pacientes sem nenhum sintoma”.

Conforme informou Elvis Barbosa, todo câncer, de uma maneira geral, é derivado de uma mutação genética. Após a mutação pode ser desenvolvido um tumor ou um câncer, de natureza genética ou hereditária. “O câncer hereditário é aquele que o paciente já nasce com a mutação. Enquanto não hereditário, há uma mutação genética, para que haja o desenvolvimento. Somente 5 a 10 por cento são hereditários”, revelou.

Do ponto de vista epidemiológico, explicou o médico, o Instituto Nacional do Câncer apresenta pesquisas sobre a incidência da doença. Em 2019, segundo ele, foram 59.700 casos novos. Para 2020-22, são previstos 66.280 casos novos a cada ano. No Ceará serão 2.510 casos por ano, diagnosticados, no período. “Uma em cada nove mulheres vai desenvolver o câncer. São 16 mil mortes por ano, com curva de mortalidade crescente. O câncer de mama ainda está sendo diagnosticado muito tardiamente. Há dificuldade de acesso ao especialista e a mamografia, que é simples e barata”.

O especialista informou que a mamografia, quando realizada anualmente, reduz a mortalidade em 30%. Ele esclareceu que nenhum outro exame tem um resultado tão positivo, mas no Brasil não se consegue alcançar toda a população por causa das dificuldades no acesso aos especialistas e aos exames. Ele acentuou que há médicos que defendem que a mamografia, por ter irradiação, não deveria ser feita. “Mas a irradiação é mínima e isso não deve ser levado em consideração”, avisou.

A idade, disse Elvis Barbosa é outro fator de risco. Quanto mais se avança na idade, maior é o risco. “A história familiar com casos de câncer coloca a pessoa em um patamar de alto risco. Isso pode ser desde mutação hereditária herdada ou hábitos de vida praticados no seio familiar. Mulheres que não amamentaram, ou tiveram filho após 30 anos também estão em grupo de risco. Quanto maior o número de filhos e mais tempo amamentando, mais proteção ela vai ter. Álcool, o tabagismo, anticoncepcionais e reposição hormonal também são fatores de risco porque são lesivos ao DNA.

O médico asseverou que nos dias de hoje as mulheres usam anticoncepcionais da adolescência até a vida adulta. Por isso, esse hábito faz com que a doença apareça em mulheres cada vez mais jovens. Também é considerado fator de risco uma dieta rica em carne vermelha, gordura animal, pobre em fibras vegetais. Ele esclareceu que a obesidade após a menopausa predispõe ao câncer de mama. “Daí a importância de cuidar da dieta e das atividades físicas, desde jovem, para não chegar a idade avançada com neoplasias.

Também são riscos para a saúde as substâncias derivadas do petróleo, que tem características cancerígenas, usadas em depósitos de alimentos e mamadeiras de crianças.

Uma das causas que favoreceu o combate ao câncer de mama, de acordo com Elvis Barbosa, foi a atriz Angelina Jolie ter exposto o seu caso pessoal, quando descobriu que tinha mutação genética igual a sua mãe, e a artista, antes de ter o câncer de mama, retirou as mamas e os ovários. “Isso deu uma ajuda gigantesca nas cirurgias preventivas”.

Elvis Barbosa recomendou que as pacientes que tiveram câncer de mama devem fazer prevenção terciária. Segundo ele, as cirurgias preventivas devem ser realizadas com muito cuidado, porque podem acontecer complicações. Por isso, as pacientes devem ser bem esclarecidas.

O médico explicou ainda que a mamografia deve ser feita de forma preventiva anualmente a partir dos 40 anos. Há também a mamografia de diagnóstico, que pode ser feita em qualquer idade, em qualquer sexo, porque é realizada quando já há suspeitas da doença.

JS

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

WhatsApp: 85.99147.6829; Telefone: 85.3257.3032

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

 

Página 2 de 6

Temos 2124 visitantes e 15 membros online

Login de Acesso

Por favor, para efetuar o login digitar zeros(0) à esquerda. Ex: 000015. Totalizando 6 dígitos.

CURSOS / PROJETOS

EVENTOS / DESTAQUES



  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará 

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60170.900                           Siga-nos:

  Fone: (85) 3277.2500