Fortaleza, Sábado, 25 Junho 2022
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática

Mesmo em momentos de lazer devido à flexibilização do decreto de  isolamento social no Estado do Ceará, é necessário reforçar os cuidados em  relação aos protocolos sanitários da pandemia da Covid-19 e ter cautela para evitar afogamentos.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), 75% dos óbitos em meio aquático ocorrem em rios, lagoas e represas.  A  7ª Companhia do 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediada na Assembleia Legislativa do Ceará, traz orientações para a população a fim de evitar novas ocorrências.

O tenente coronel Emerson Bastos, subcomandante da Companhia, afirma que devido ao bom aporte de água na maioria dos nossos mananciais, lagoas, açudes e rios, estes locais passaram a ser uma alternativa de entretenimento e diversão além das praias. ''É preciso que as pessoas fiquem atentas aos perigos da água doce e os riscos de afogamentos  ocultos  na calmaria dessas águas. A água turva ou escurecida de lagoas e açudes pode esconder muitos perigos como pedras e galhos, sendo o uso de colete salva-vidas um item de primeira necessidade'' orienta.

Outras orientações

Para quem não conhece o local ou caso ele não esteja sinalizado, a recomendação é evitar adentrar ou mergulhar quando passar acima da cintura  e em se tratando de crianças, elas devem estar acompanhadas dos pais ou responsáveis, tanto em piscinas, praias, balneários, lagoas ou rios.

O tenente coronel Emerson Bastos alerta para a necessidade de se observar os buracos e os galhos submersos presentes nos rios. Em açudes e barragens, a recomendação é verificar a profundidade e ter cuidado com o limo nas pedras que pode fazer com que as pessoas escorreguem e se machuquem.

Mais de 80% das mortes por afogamento ocorrem porque as vítimas ignoram os riscos, não respeitam limites pessoais, ingerem bebidas alcoólicas antes do acidente e desconhecerem como agir no momento do afogamento.

O afogamento pode ter origem em vários fatores como a  fadiga por esforço ou mesmo a falta da habilidade necessária para a prática da natação. Para evitar que se ponha a vida em risco, em práticas aquáticas, seja no mar, piscina ou lagoas, o oficial bombeiro recomenda que as pessoas busquem espaços com salva-vidas. "Se isso não for possível, lembre-se que 'água no umbigo, sinal de perigo´", adverte.

JB

 

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

WhatsApp: 85.99147.6829; Telefone: 85.3257.3032

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

 

O número de mortes por afogamento no Ceará cresceu 13,4% no primeiro semestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2019. Apenas no período de janeiro a junho deste ano, foram contabilizadas 161 vítimas fatais. Para reduzir os índices e demais ocorrências, a prevenção é fundamental, conforme orientações feitas pela 7ª Companhia do 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediada na Assembleia Legislativa do Ceará.

Segundo o tenente coronel Emerson Bastos, subcomandante da Companhia,  a quadra chuvosa que banha o Estado do Ceará neste ano garante um bom aporte de água na maioria dos nossos mananciais, contribuindo para a garantia hídrica. ''Com isso, lagoas, açudes e rios passaram a ser uma alternativa de entretenimento e diversão além das praias, mas é preciso que as pessoas fiquem atentas aos perigos da água doce e os riscos de afogamentos  ocultos  na calmaria dessas águas'', alerta.

A água turva ou escurecida de lagoas e açudes pode esconder muitos perigos como pedras e galhos, sendo o uso de colete salva-vidas um item de primeira necessidade.

Outros cuidados

Os rios têm muitas armadilhas, redemoinhos, correntezas e buracos. Dessa forma, qualquer descuido pode ser fatal. ''Se o rio tiver correnteza, nunca se deve entrar na água acima do joelho. Se a diversão ocorrer em embarcações como canoas, lanchas ou jet ski, sempre se deve usar coletes salva-vidas e respeitar o local dos banhistas. Não se deve tentar entrar na água para realizar socorro se a pessoa não for preparada para isso'', recomenda o subcomandante da Companhia.

Também é preciso observar os buracos e os galhos submersos presentes nos rios. Em açudes e barragens, a recomendação é verificar a profundidade. ''É importante ter cuidado com o limo nas pedras, pois ele pode fazer com que as pessoas escorreguem e se machuquem. Para prevenção de afogamentos, é recomendado evitar bebidas alcoólicas e alimentos pesados. A maioria dos afogamentos acontece com pessoas que desconheciam as normas ou por ausência de equipamentos de segurança antes de entrar na água'', informa.

 JB

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 85.3257.3032

WhatsApp: 85.99147.6829

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o afogamento é uma das principais causa de mortes acidentais no mundo. A cada ano, pelo menos 360 mil pessoas perdem a vida em acidentes desta natureza. Há ainda a possibilidade destes números estarem subestimados, elevando ainda mais os casos fatais. As vítimas estão principalmente entre crianças e jovens. O tenente coronel Emerson Bastos, subcomandante da  7ª Companhia do 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediada na Assembleia Legislativa do Ceará, desenvolve um trabalho no sentido de prevenir acidentes que podem levar a óbito, por descuido ou imprudência.

Com a flexibilização do isolamento social, em decorrência da redução do número de casos de Covid-19, em Fortaleza e algumas cidades do interior do Estado, as pessoas voltaram a frequentar os ambientes de praia, na ampla faixa da Região Metropolitana da capital e nas macrorregiões Litoral Leste e Litoral Oeste. A orientação das autoridades sanitárias é que seja mantido o distanciamento entre as pessoas, e, sempre que possível, seja mantido o uso de máscaras e álcool em gel.

"O afogamento pode ter origem em vários fatores. Desde a fadiga por esforço até a falta da habilidade necessária para a prática da natação", observa Emerson Bastos. Para evitar que se ponha a vida em risco, em práticas aquáticas, seja no mar, piscina ou lagoas, o oficial bombeiro recomenda que as pessoas busquem espaços que contem com salva-vidas. "Se isso não for possível, lembre-se que ´água no umbigo, sinal de perigo´", adverte.

Outras orientações

O bombeiro esclarece que quase metade dos que se afogam acredita que sabe nadar, notadamente após a ingestão de bebidas alcoólicas. Importante também é a atenção total com crianças, de acordo com o oficial. "Comece ensinando as crianças a nadar", recomenda. "Esteja sempre a um braço de distância, porque o afogamento pode acontecer de forma rápida e inesperada. Por isso, prefira sempre nadar em águas rasas", recomenda.

Outros conselhos de Emerson Bastos é o de que não se deve nadar sozinho, bem como manter distância de locais que possam ter formações rochosas encobertas pela águas. "Locais assim são sempre um risco a mais", justifica.

Ele alerta ainda que mais de 90% dos afogamentos ocorrem em valas no mar formadas por correntes de retorno. "Nesses locais, a correnteza é maior e leva a vítima para além das áreas de arrebentação", explica.  Nesses casos, a dica é nadar em paralelo a praia, até sair da corrente. "Ou então, peça socorro imediatamente. E nunca tente salvar alguém se não tiver o preparo adequado para o salvamento. Muitas pessoas morrem dessa forma", adverte.

Para o bombeiro, a melhor alternativa para os acidentes é a prevenção. Em relação a dúvidas ou esclarecimentos quanto a medidas de segurança, Emerson Bastos informa que contatos podem ser mantidos com a Companhia por meio do telefone 85.3277.2935, do celular 85.98758.8880 ou pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

JS

 

Núcleo de Comunicação Interna da AL

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 85.3257.3032

WhatsApp: 85.99147.6829

Temos 486 visitantes e Um membro online

Login de Acesso

Por favor, para efetuar o login digitar zeros(0) à esquerda. Ex: 000015. Totalizando 6 dígitos.

CURSOS / PROJETOS

EVENTOS / DESTAQUES



  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará 

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60170.900                           Siga-nos:

  Fone: (85) 3277.2500