Fortaleza, Quinta-feira, 02 Fevereiro 2023
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática
 PORTAL DO SERVIDOR
 Coordenadoria de Planejamento e Informática

A trajetória do ex-PM, ex-vereador e youtuber Gabriel Monteiro (PL) até a sua cassação na Câmara Municipal do Rio de Janeiro e sua prisão, é contada em quatro episódios na plataforma Globoplay. O documentário “Gabriel Monteiro - Herói Fake” mostra os relatos de quatro mulheres que registraram queixa de estupro em delegacias e entrevistas com ex funcionários. A série mostra como o político usou as redes sociais não apenas para ganhar dinheiro com suas produções manipuladas, mas também criar uma imagem de benfeitor e moralista que não passava de uma ficção.

A série apresenta relatos com acusações de assédio sexual e moral, peculato e tortura. Práticas comuns e repetitivas ao longo de sua meteórica passagem nas mídias e espaços políticos. O primeiro episódio se inicia com imagens da sessão de 18 de agosto passado, na Câmara Municipal carioca, em que Monteiro foi cassado com esmagadora maioria de 48 votos a dois.

A partir deste ponto, o documentário expõe a história do youtuber, que cumpre prisão preventiva, determinada pela Justiça, desde novembro sob a acusação de estupro, com imagens inéditas. É a primeira vez que uma das mulheres que o apontam como estuprador resolveu trazer toda a história pessoal exibindo o próprio rosto às câmeras. Os depoimentos de três mulheres prestados na 42ª Delegacia de Polícia, no bairro Recreio dos Bandeirantes, na cidade do Rio de Janeiro, foram acompanhados pela produção do documentário.

Uma das vítimas, que afirmar ter sido violentada por Monteiro em 2017, estava acompanhada da mãe. Imagens mostram apenas as mãos das duas entrelaçadas. Dias depois, essa mesma mulher, que teve que ser amparada pela mãe,se encontrou com outra vítima que até agora não teve coragem de denunciar o ex-PM.

O documentário mostra a trajetória não apenas de uma pessoa fria, que construiu um personagem pelas redes sociais, mas a história de como algumas dessas mulheres se uniram e tiveram coragem de denunciar os abusos, afirma Eliane Scardovelli, que divide a direção da produção. Monteiro não deu entrevista para o documentário, mas nega todas as acusações.

Júlio Sonsol, com informações da Globoplay

Edição: Salomão de Castro

                                                    

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 85.3257.3032

WhatsApp: 85.99717.1801

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

Publicado em Agenda Cultural

Quem tem curiosidade sobre a família real inglesa já pode comemorar. A quinta temporada da série "The Crown" já está disponível na plataforma Netflix. A nova edição da produção foi lançada pouco mais de dois meses após a morte da rainha Elizabeth II e divide opiniões.

A nova temporada procura retratar aquela que é considerada uma mais turbulentas fases da família de Elizabeth II, incluindo o incêndio no castelo de Windsor e os desdobramentos do casamento entre Diana e o príncipe Charles, então sucessor do trono.

Antes mesmo da estreia, a saga de Diana já é um dos tópicos mais repercutidos entre o público. Ao retratar o fim da união com o filho de Elizabeth II, a série da Netflix não só reproduz a polêmica entrevista em que Lady Di quebrou o silêncio sobre o casamento e infidelidades, mas também uma história que ainda fascina os amantes da eterna princesa de Gales: o vestido da vingança.

Real e ficção

Além de retratar escândalos, "The Crown" é alvo de críticas fora das telas. Isso porque muitos têm discutido sobre o limite entre o real e fictício apresentado na série, sem considerar a licença poética. A história é baseada no livro biográfico que relata a vida da família real britânica. A série faz um recorte de tempo entre os anos 1947 a 1955 e compreende os acontecimentos da primeira temporada da série, que mostra a jovem Elizabeth II aos 25 anos, quando foi consagrada rainha. A obra é de autoria do biógrafo da família real Robert Lacey.

Robert é também o consultor histórico e foi responsável pela extensa pesquisa que levou o dramaturgo Peter Morgan a desenvolver o enredo da série que perpassa a trajetória do reinado da rainha Elizabeth II. A primeira temporada de The Crown é estrelada por Claire Foy, que interpreta Elizabeth II, e Matt Smith no papel de Philip, o duque de Edimburgo. O elenco conta ainda com John Lithgow como Winston Churchill, primeiro ministro britânico.

O que é real e o que é ficção sobre os acontecimentos da série são destrinchados na biografia, na qual Robert faz um mergulho na história da realeza e constrói um retrato íntimo da vida no Palácio de Buckingham e na famosa residência da Downing Street, moradia oficial do primeiro-ministro inglês.

Serviço: A quinta temporada de The Crown já está disponível na plataforma Netflix em dez capítulos de 50 minutos, em média.

JS

 

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 85.3257.3032

WhatsApp: 85.99717.1801

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

 

Publicado em Agenda Cultural

As maratonas de séries disponíveis em plataformas de streaming se transformaram em rotinas em tempos de pandemia de Covid-19, em face das poucas opções de lazer para quem teve os cuidados necessários para combater a doença e manteve-se em isolamento social durante o espaço de tempo necessário para controlar a expansão do vírus. Esta é uma boa opção para quem é adepto do streaming e pode acompanhar as séries indicadas à 73ª edição do Emmy Awards.

De forma individual ao acompanhado com alguém do seu convívio, praticamente todos que dispunham de alguma forma de acesso a estes produtos culturais introduziram em seus cotidianos a apreciação de séries. Após o período mais crítico da pandemia, muitos continuaram com o hábito seguro e saudável de se divertir apreciando boas histórias contadas formato de séries.

Assim, a divulgação da lista de conteúdos que irão disputar prêmios nunca chamou tanta atenção do público como agora, em face da popularização de produções. No dia 12 de julho, a 74ª edição do Emmy Awards, que premia o mérito artístico e técnico destes conteúdos, anunciou os candidatos em diversas categorias.

Saiba quais são as séries concorrentes e onde acompanhá-las

Em melhor série dramática, estão disputando: "Better Call Saul", "Euphoria", "Ozark" "Ruptura", "Round 6", "Stranger Things", "Succession" e "Yellowjackets".

Na categoria série de comédia foram indicadas: “Abbott Elementary", "Barry", "Curb Your Enthusiasm", "Hacks", "A maravilhosa Sra. Maisel", "Only Murders in the Building" e "Ted Lasso".

Concorrem na categoria minissérie:  "Dopesick", "The Dropout", "Inventando Anna", "Pam & Tommy" e "The White Lotus".

Confira como pode ter acesso às principais séries indicadas:

Better Call Saul - Netflix

Euphoria - HBO Max e Claro TV+

Ozark - Netflix

Ruptura - Apple TV+

Succession - HBO Max

Round 6 - Netflix

Stranger Things - Netflix

Yellowjackets - Paramount+, Claro TV+ e Oi Play

Killing Eve - Globoplay

The Morning Show - Apple TV+

Barry - HBO Max

Segura a Onda - HBO Max

Hacks - HBO Max

Maravilhosa Sra. Maisel - Amazon Prime Video

Only Murders in the Building - Star+

Ted Lasso - Apple TV+

What We Do in the Shadows - Star+

JS

 

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 85.3257.3032

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

WhatsApp: 85.99717.1801

Publicado em Agenda Cultural

Quem adora maratonar os filmes indicados à mais importante premiação do cinema mundial terá opções nos cinemas e nas plataformas de streaming a partir desta quinta-feira (24/03). A maratona denominada Oscar Day 2022, vai trazer para as telonas da Rede UCI os longas que concorrem nas categorias “Melhor Filme” e “Melhor Direção” e passaram pelos cinemas. Os títulos exibidos nestas quinta (24/03) e sexta-feira (25/03) são “Duna”, “No Ritmo do Coração”, “King Richard: Criando Campeãs”, “Belfast”, “O Beco do Pesadelo”, “Licorice Pizza” e “Drive My Car”.

O Oscar 2022 será realizado neste domingo (27/03), com transmissão pelos canais TNT e Globoplay, a partir das 21 horas. Em Fortaleza, a programação dos filmes que disputam as estatuetas será realizada nas salas UCI Iguatemi e Parangaba.

Os ingressos já estão à venda, com preços especiais de R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia. Os clientes Unique, que já pagam meia entrada, vão poder garantir o ingresso de um acompanhante também com preço promocional de 10 reais, apenas nas sessões do Oscar Day.

Programação

“Duna”, do diretor Denis Villeneuve, é o filme com mais indicações do Oscar Day (dez). O longa concorre em categorias como “Melhor Filme”, “Melhor Roteiro Adaptado”, “Efeitos Visuais” e “Melhor Fotografia”. A trama acompanha Paul Atreides (Timothée Chalamet), jovem filho do Duque Leto Atreides, que é mandado ao planeta desértico Arrakis, também conhecido como Duna, para garantir o futuro de sua família e seu povo.

“Melhor Filme”, “Melhor Direção” e “Melhor Roteiro Original” (os dois últimos a cargo de Kenneth Branagh) são algumas das sete categorias em que “Belfast” foi indicado ao Oscar. O filme se passa na Belfast de 1969 e é contado a partir do ponto de vista de Buddy, o caçula de nove anos de uma família da classe operária norte-irlandesa. O menino sonha com um futuro melhor que possa tirá-los dos conflitos que enfrentam, causados por protestantes que desejam expulsar católicos.

Disputando seis troféus, incluindo “Melhor Filme”, “Melhor Ator” e “Melhor Roteiro Original”, “King Richard: Criando Campeãs”, do cineasta Reinaldo Marcus Green, traz Will Smith no papel de Richard Williams, pai das tenistas Serena e Venus Williams. O filme biográfico mostra o personagem obstinado a fazer de suas filhas futuras campeãs e usando métodos próprios e nada convencionais, seguindo a visão clara de futuro que construiu para as meninas.

Com direção de Ryusuke Hamaguchi, “Drive My Car” é o primeiro filme japonês a concorrer na categoria de melhor filme no Oscar, além de ser a produção do país com mais indicações da história, quatro no total. A história acompanha Yusuke Kafuku (Hidetoshi Nishijima), ator e diretor de teatro que tem um casamento feliz com a roteirista Oto (Reika Kirishima). Oto morre inesperadamente, deixando um segredo para trás. Dois anos depois, Kafuku, ainda incapaz de lidar totalmente com a perda da esposa, recebe uma proposta para dirigir uma peça num festival de teatro e vai até Hiroshima com seu carro. Lá, ele conhece Misaki (Toko Miura), uma mulher contratada para ser sua motorista. O longa é indicado ainda aos prêmios de melhor filme internacional, direção e roteiro adaptado.

De Paul Thomas Anderson, “Licorice Pizza” concorre a “Melhor Filme”, “Melhor Direção” e “Melhor Roteiro Original”. A produção acompanha Alana (Alana Haim) e Gary (Cooper Hoffman), que se apaixonam no Vale de San Fernando, em 1973; ela com 25 anos e ele, 15. Alana está na jornada de autodescoberta, experimentando diferentes empregos e estilos e encontrando prioridades e personalidades. Gary está no início de sua carreira como ator de Hollywood, conta com a ajuda dos pais e tenta trazer Alana para o meio.

Indicado às categorias de “Melhor Filme”, “Melhor Ator Coadjuvante” (Troy Kotsur) e “Melhor Roteiro Adaptado”, “No Ritmo do Coração”, da diretora e roteirista Sian Heder, conta a história de uma família com deficiência auditiva que comanda um negócio de pesca em Gloucester, nos Estados Unidos. Ruby (Emilia Jones), a única pessoa que escuta, ajuda os pais e o irmão com as atividades do cotidiano. Quando entra para o coral da escola, descobre um grande talento musical e precisa decidir entre continuar ajudando os pais ou ir atrás de seus sonhos.

“O Beco do Pesadelo”, de Guillermo Del Toro e estrelado por Bradley Cooper e Cate Blanchett, concorre a “Melhor Filme”, “Melhor Figurino”, “Melhor Fotografia” e “Melhor Design de Produção”. Na trama, Stanton Carlisle é um trabalhador de um parque de diversões itinerante. Com o talento de conseguir manipular as pessoas através das palavras, ele se une a Lilith Ritter, psiquiatra que consegue ser ainda mais perigosa que ele.

Serviço: Oscar Day 2022. Maratona de filmes indicados aos prêmios de melhor filme e direção, nos dias 24 e 25 de março. Filmes em cartaz: “Duna”, “No Ritmo do Coração”, “King Richard: Criando Campeãs”, “Belfast”, “O Beco do Pesadelo”, “Licorice Pizza” e “Drive My Car”, nos complexos UCI Iguatemi e Parangaba. Preços: Salas e poltronas normais, nos Cinemas UCI Kinoplex Iguatemi e UCI Shopping Parangaba: R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia). Consulte a programação no site da Rede UCI de Cinemas .

Nas plataformas

Para quem ainda está receoso de frequentar ambientes fechados com outras pessoas, por conta da pandemia de Covid-19, há a opção de assistir os filmes indicados em plataformas de stream. Apesar de a lista de concorrentes disponíveis não ser completa, há muitas boas opções de escolha. Confira a programação disponível:

NETFLIX - "Ataque dos Cães", de Jane Campion, líder da temporada, com 12 indicações ao prêmio, dentre as quais melhor filme, direção, ator (Benedict Cumberbatch), ator coadjuvante (Kodi Smit-McPhee e Jesse Plemons), atriz coadjuvante (Kirsten Dunst) e roteiro adaptado; "Não Olhe para Cima", de Adam McKay (quatro indicações, inclusive melhor filme e melhor roteiro original); "A Filha Perdida": candidato aos prêmios de "Melhor Atriz" (Olivia Colman), "Melhor Atriz Coadjuvante" (Jessie Buckley) e "Melhor Roteiro Adaptado"; "Tick, Tick...Boom!": "Melhor Ator" (Andrew Garfield) e "Melhor Edição"; "A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas": "Melhor Animação"; "Three Songs For Benazir": "Melhor Documentário Curta-Metragem"; "Audible": "Melhor Documentário de Curta-Metragem"; e "Robin Robin": "Melhor Curta de Animação;

AMAZON PRIME - "No Ritmo do Coração": "Melhor Filme", "Melhor Roteiro Adaptado" e Melhor Ator Coadjuvante" (Troy Kotsur); "Being the Ricardos": "Melhor Atriz" (Nicole Kidman), "Melhor Ator" (Javier Bardem) e "Melhor Ator Coadjuvante" (J.K. Simmons);  "Um Príncipe em Nova York 2": "Maquiagem e Cabelo";

APPLE TV - "Free Guy: Assumindo o Controle": "Efeitos Visuais";

STAR+ - "A Tragédia de Macbeth": "Melhor Ator" (Denzel Washington), "Melhor Fotografia" e "Melhor Design de Produção";

DISNEY+ - "Encanto": "Melhor Trilha Sonora", "Melhor Animação" e "Canção Original"; "Luca": "Melhor Animação"; "Raya e o Último Dragão": "Melhor Animação"; "Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis": "Efeitos Visuais"; "Cruella": "Melhor Figurino" e "Maquiagem e Cabelo"; "Amor, Sublime Amor": "Melhor Filme", "Melhor Direção" (Steven Spielberg), "Melhor Atriz Coadjuvante" (Ariana DeBose), "Melhor Figurino", "Melhor som", "Melhor Fotografia", "Melhor Design de Produção".

HBO MAX - "Duna": "Melhor Filme", "Melhor Roteiro Adaptado", "Melhor Fotografia", "Melhor Design de Produção", "Melhor Montagem", "Melhor Figurino", "Melhor Maquiagem e Cabelo", "Melhor Trilha Sonora", "Melhor Som" e "Melhores Efeitos Visuais"; e "King Richard: Criando Campeãs": "Melhor Filme", "Melhor Ator" (Will Smith), "Melhor Atriz Coadjuvante" (Aunjanue Ellis), "Melhor Roteiro Original", "Melhor Montagem" e "Melhor Canção".

SC/JS, com Rede UCI de Cinemas

 

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 85.3257.3032

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

WhatsApp: 85.99717.1801

Publicado em Agenda Cultural

O presente de Natal que a Netflix reserva para os usuarios do stream é o filme "Não Olhe para Cima" (Don’t Look Up), de Adam McKay. A produção entra na plataforma nesta sexta-feira (24/12) e traz um espelho cômico do mundo em que vivemos, com um elenco repleto de estrelas consideradas de primeira grandeza de Hollywood.

A história  segue dois astrônomos, Dr. Randall Mindy (Leonardo DiCaprio) e a candidata ao doutorado Kate Dibiasky (Jennifer Lawrence), que descobrem um cometa que destruirá a Terra. No entanto, em sua missão de contar ao mundo, a presidente dos Estados Unidos, a mídia e um gigante da tecnologia tentam desviar a verdade e encontrar uma maneira de tornar isso lucrativo.

Qualquer semelhança com as primeiras notícias sobre a pandemia de Covid-19, no final de 2019 e começo de 2020 não terá sido mera coincidência. O fato divide o país quanto ao que eles devem fazer sobre o cometa, com um pedaço gigante deles pensando que não deveriam fazer nada ou que o cometa não existe de todo.

Há evidências substanciais da realidade contra os negacionistas. Essa dificuldade cognitiva dos que não reconhecem a realidade como tal é a força do roteiro da comédia dentro do filme. Quanto o público e os responsáveis ​​estão dispostos a ignorar quando confrontados com sua própria morte? No filme de McKay, eles estão dispostos a ignorar quase tudo isso.

O alvo da piada não é tanto para as pessoas que caem na desinformação, porém, é principalmente para aqueles que estão no comando, deixando de fazer o que os cientistas consideram necessário para salvar o planeta.  O filme mostra os extremos extraordinários que essas pessoas farão para garantir que continuem populares aos olhos do público, mesmo que isso signifique enganá-los completamente. As comédias anteriores de McKay, como "Talladega Nights" e "Step Brothers", contêm humor exagerado, em que os personagens mais idiotas são o alvo da piada, e isso continua aqui, mas seu estilo cômico tornou-se mais nuançado.

Elenco é destaque

No elenco de "Não Olhe para Cima" há muitos rostos familiares, alguns dos quais aparecem apenas em uma cena, como Chris Evans interpretando um ator estrelando um filme sobre um cometa destruindo a Terra. Os poucos que aparecem como participações especiais geralmente estão lá para uma piada rápida e funcionam bem, nunca tirando totalmente a atenção do elenco principal. Tyler Perry e Cate Blanchett são apresentadores de talk shows matinais que tentam colocar um sorriso em cada notícia, por mais triste que seja. DiCaprio e Lawrence trabalham excepcionalmente bem como os dois cientistas, cada um em suas jornadas muito diferentes.

Meryl Streep como a presidente Janie Orlean e Jonah Hill como seu filho Jason Orlean, que também é o Chefe de Gabinete, conseguem se destacar mesmo em meio a este vasto e conhecido elenco. A personagem de Streep é uma gestora narcisista que se preocupa apenas com o interesse próprio e sobre como a mídia a percebe, enquanto seu filho é um adulto enfadonho e idiota, cujas experiências de vida são o oposto do americano médio. Ambos são a força motriz do humor nas cenas em que estão. Eles são o pior da humanidade e um bom equilíbrio para a história – que é sobre o possível fim do mundo.

"Não Olhe Para Cima" foi indicado ao prêmio de melhor filme de comédia ou musical, melhor roteiro,  Leonardo de Caprio como melhor ator (comédia/musical), e Jennifer Lawnrence (comédia/musical) como melhor atriz no Globo de Ouro 2022. O resultado da premiação será conhecido em 9 de janeiro. A produção também recebeu ainda seis indicações ao Critics Choice Awards, incluindo as de melhor filme e de melhor elenco, também previsto para acontecer em 9 de janeiro de 2022.  

JS

 

Núcleo de Comunicação Interna da Alece

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 85.3257.3032

WhatsApp: 85.99717.1801   

Página: https://portaldoservidor.al.ce.gov.br/

 

Publicado em Agenda Cultural
Página 1 de 7

Temos 359 visitantes e 37 membros online

Login de Acesso

Por favor, para efetuar o login digitar zeros(0) à esquerda. Ex: 000015. Totalizando 6 dígitos.

EVENTOS / DESTAQUES

QR Code

Portal do Servidor - Mostrando itens por tag: Streaming - QR Code Friendly



  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará 

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60170.900                           Siga-nos:

  Fone: (85) 3277.2500